Cinco erros que os pais cometem quando ensinam seus filhos a dirigir

​​​Aquele pânico que você sente quando seu filho tira a carteira de motorista é completamente compreensível. Afinal, acidentes de carro são uma das principais causas de morte de jovens no Brasil, e é mais provável que eles se envolvam em acidentes do que motoristas mais velhos.

​​Essas ocorrências, às vezes, podem ser evitadas, e os pais têm um papel importante em ajudar que os jovens se mantenham seguros nas ruas, mas pesquisas mostram que apenas apoiar seus filhos na direção não é suficiente para garantir boas habilidades. De acordo com um estudo de 2014, realizado pelo Children's Hospital of Philadelphia (CHOP), 54% dos jovens que passaram seis meses dirigindo com os pais ainda cometeram graves erros no seu teste de direção.​

A maneira como você ensina seu filho pode fazer toda a diferença. Aqui estão seis erros comuns que você pode estar fazendo, e as correções comprovadas que devem ajudar a garantir o sucesso do seu filho na direção.​​


1. Perder a calma

Apoio sincero e encorajamento fazem a diferença. Elogie o seu filho quando ele exercer o bom senso e evite se irritar com seus erros. Discipline conforme necessário, mas faça de uma maneira que chame atenção para áreas que precisam ser melhoradas, reforçando o bom comportamento. Nunca diga algo como "você vai acabar nos matando!" Em vez disso, mantenha um comportamento calmo — isso também vai gerar bom exemplo para seu filho se manter tranquilo, mesmo sob pressão na direção.

Dica profissional: indicar como seu filho pode melhorar suas habilidades, prevendo as ações dos outros motoristas ou padrões de trânsito, são conselhos comuns de direção defensiva. Ensine-o a explorar as ruas para observar riscos e suas condições, e a evitá-los parando, desviando ou acelerando.


2. Não planejar sua rota com antecedência

Planejamento é tudo. E, mesmo depois de sair da autoescola, é importante que seu filho tenha algumas horas na direção em que ele não esteja apenas treinando para passar na prova prática da habilitação. Você pode ajudá-lo criando um programa de trajetos que o auxiliem a dominar o trânsito do dia a dia. Reforce certas habilidades em cada saída, começando com as iniciais e progredindo para situações mais complexas, à medida que a confiança do seu filho aumente. Quando isso acontecer, vocês podem passar para rodovias de alta velocidade, dirigir à noite, ou com mau tempo.

Dica profissional: não foque apenas nas rotas rotineiras da sua família. Varie e inclua novos lugares para que o jovem possa se acostumar a dirigir em todas as situações de direção.


3. Ser um passageiro distraído

Quando estiver no carro com seu filho, você não estará apenas acompanhando ele por obrigação. É um participante ativo e deve dar seu feedback. Portanto, evite distrações e outros pensamentos. Você é um professor, não apenas um passageiro.


4. Falar de outros assuntos quando seu filho está dirigindo

Ainda que possa ser tentador usar esse tempo em que vocês estão sozinhos para discutir outras questões, mantenha a conversa no carro limitada à tarefa: melhorar o entendimento do seu filho sobre a estrada. Deixe outros assuntos para mais tarde e encoraje-o a se manter concentrado.


5. Não obedecer as leis de trânsito

Ao completar 18 anos, seu filho vai querer tirar a carteira de motorista. Mas é essencial que, para isso, você esclareça as leis de trânsito e reforce a importância de respeitá-las. Isso ajuda na segurança do seu filho e de outros motoristas.​


Por um ano, ele terá uma carteira de motorista provisória. Mais do que nunca, é fundamental que não cometa infrações e siga todos os ensinamentos que você passou sobre direção. Mas mesmo quando ele tiver sua carteira definitiva, deve continuar sendo um motorista atento, cuidadoso e responsável.​

Ter um novo motorista na família pode ser estressante para os pais. Mas uma das melhores maneiras de tornar seu filho um motorista melhor é ser um instrutor melhor. Só assim você pode começar a eliminar algumas preocupações enquanto ele estiver na direção.