Quatro períodos mais perigosos para novos motoristas dirigirem

​​​Motoristas novos correm maior risco de acidentes durante determinadas temporadas. Felizmente, muitos podem ser evitados. Descubra quando e como manter seu filho motorista seguro durante esses períodos.​

Num piscar de olhos, seus filhos vão dos primeiros passos à autoescola. Esse marco na vida de um jovem pode causar ansiedade para os pais, já que acidentes de carro são uma das principais causas de morte de jovens no Brasil. ​​

​Esses dados podem ser alterados através de esforços preventivos. Embora a condução segura seja sempre importante, algumas medidas são críticas durante quatro temporadas específicas - que são especialmente perigosas para motoristas iniciantes.​

​​1. Os primeiros doze meses

 

Os riscos:
Um pouco de experiência faz muita diferença, principalmente quando se trata de direção. Por isso, os primeiros doze meses são um período crítico para novos motoristas.​

​Muitos acidentes nos primeiros anos são causados por falta de experiência, de atenção ou por distração. Se um motorista já começa com maus hábitos na direção, como mexer no celular, ficar muito perto de outros carros, passar no sinal vermelho ou andar em alta velocidade, é mais provável que continue assim ao ficar mais velho.​

O que os pais podem fazer:
No mínimo, monitore se o novo motorista está seguindo à risca o Código de Trânsito. Seu filho ainda está com a CNH provisória, bastam duas infrações médias ou uma grave ou gravíssima para ele perder a carteira e precisar fazer - e pagar -  todo o processo de obtenção da habilitação novamente. Por esse motivo, e também para dar segurança para o novo motorista da casa, procure ser o copiloto nas primeiras vezes em que ele pegar a direção. 

​Observe se o seu filho aprendeu bem as habilidades necessárias na prática da direção como entrar no tráfego, dirigir em duas e quatro pistas, e determinar o direito de passagem. Quando sentir que ele está se dando bem sozinho, pode começar a entregar as chaves para ele​​​​

2. Os​ feriados​​

 

O risco:
Durante feriados – principalmente os tradicionais Carnaval, Natal e Ano Novo – o número de acidentes de trânsito costuma aumentar significativamente. Por isso, a atenção nessas épocas, especialmente para quem está começando a dirigir, precisa ser redobrada.

​Uma das razões para esses picos é que os jovens aproveitam feriados prolongados para viajar. E consequentemente, apresentam comportamentos de risco, como condução distraída, que é um fator importante para acidentes. Isso inclui usar o celular de qualquer maneira (falando ou enviando mensagens), conversar com passageiros ou tentar fazer outras coisas na direção, como comer ou retocar a maquiagem.

O que os pais podem fazer:
Por mais que pareça antiquado, dirigir realmente é um privilégio e uma grande responsabilidade. Reserve um tempo para conversar com seu filho, e estabeleça parâmetros e expectativas sobre os detalhes de condução, incluindo regras básicas de estrada, como lidar com situações envolvendo álcool e drogas, e a importância de não ficar distraído enquanto dirige. Se achar válido, formule uma espécie de contrato, com uma lista de regras como “não usar o celular enquanto dirige” para os primeiros meses mais críticos.

​Mas faça a sua parte e também dê um bom exemplo. Um estudo da Liberty Mutual mostrou que 91% dos pais já falaram no telefone enquanto dirigem, e 59% enviaram mensagens de texto. Além disso, 20% dos pais admitiram ter dirigido sob a influência de álcool, 49% dirigiram sem cinto de segurança, e mais de 88% já ultrapassaram o limite de velocidade.​​

É importante levar a direção a sério e saber que nunca é tarde para melhorar seus hábitos. Se o seu filho observar que você se importa com segurança, ele provavelmente vai se preocupar também​.

3. Dirigir à noite

 

O risco:
Quando o sol se põe, o risco aumenta para todos os motoristas, mas principalmente para os novos – a maioria dos acidentes que acabam em morte acontecem à noite. Fatores contribuintes incluem a hora do rush, motoristas debilitados, cansaço, dificuldade para enxergar, e a falta de luz adequada.​
O que os pais podem fazer:
Insista que o seu filho tenha pelo menos sete horas de sono de qualidade todas as noites, e avise-o sobre os perigos de dirigir com sono ou debilitado. Considere instituir algumas regras em casa sobre dirigir à noite.

​Você pode estabelecer horários para que seu filho chegue em casa, ou pedir para que ele chame um táxi ou aplicativos de motoristas, como o Uber. Isso pode potencialmente salvar vidas, já que acidentes fatais normalmente acontecem durante a madrugada. Os passeios noturnos costumam ser mais recreacionais, e é quando os jovens se distraem mais facilmente, ou se arriscam mais.​

​Também pode ser interessante acompanhar seu filho dirigindo à noite naquelas primeiras vezes em que ele pegar o carro depois de tirar a habilitação. Quando ele estiver seguro para dirigir de dia, passe o máximo de tempo possível como passageiro nos passeios noturnos. Observe se ele consegue navegar pela cidade no escuro, dirigir contra o brilho dos faróis que se aproximam, e entender a diferença entre dirigir de dia e a noite.​

Dica profissional: mesmo um pequeno acidente pode ser uma experiência traumática para quem acabou de ganhar a carteira. Ensine-os o que fazer se acontecer um, como ligar para a polícia, ficar no local, tirar fotos dos danos, e não admitir nem colocar culpa. Certifique-se de que eles têm o app da Liberty Seguros no celular, assim eles poderão chamar um guincho, abrir um sinistro e acompanhar o andamento pelo telefone.​

​4. Dias de semana​​

 

​​Os riscos:
Para a surpresa de muitos pais, os dias de semana são tão perigosos para motoristas jovens quanto as noites do fim de semana. Muitos estão com pressa de chegar em casa ou ao trabalho depois da faculdade, o que é perigoso quando combinado com pouca experiência e o tráfego da hora do rush.​

Acidentes de manhã também são comuns, especialmente para quem tem aula antes das 8h da manhã. Poucas horas dormidas durante a noite podem contribuir com isso.​
​ 
O que os pais podem fazer:
Dê o exemplo: durma bem, evite correr (mesmo quando estiver atrasado), e sempre tenha hábitos seguros de condução. Explique por que você toma esses cuidados, e por que o seu filho deve fazer o mesmo. Algumas coisas são óbvias para motoristas experientes, mas não tão claras para iniciantes.

​​Ter um motorista novo em casa sempre envolve riscos. Quanto mais você souber sobre esses períodos perigosos e como pode proteger o seu filho, mais chances tem de garantir que ele pegue a estrada com segurança.​​​


​​​​​​​​​​