Como educar seus filhos sem estereótipos de gênero

​O tema da igualdade de direitos entre homens e mulheres ganha cada vez mais força nos dias de hoje. E para esse debate seguir avançando, precisamos ter em mente que todos temos um papel a desempenhar, principalmente como pais. O melhor caminho para desconstruir estereótipos de gênero na criação das crianças é possibilitar que meninos e meninas tenham as mesmas oportunidades desde pequenos. Como fazer isso? Temos algumas dicas que vão te ajudar.

1- Não categorize brinquedos

Ainda é comum que muitas famílias estimulem meninas a brincar de bonecas, casinha e fazer balé, enquanto os meninos ganham carrinhos e praticam esportes como futebol e lutas... Isso não é bom para o desenvolvimento das crianças. Um estudo recente da UNESCO mostrou que os padrões construídos para gêneros afastam as mulheres de disciplinas relacionadas à ciência, tecnologia, engenharia e matemática. Dessa forma, ao brincar de blocos, aviões e carrinhos, as meninas são estimuladas a desenvolver noções espaciais que serão importantes para o seu futuro profissional, e, por outro lado, se um menino tem permissão para brincar de boneca, ele exercita o papel de pai e aprende sobre a importância do cuidar.

 

2- Divida as tarefas domésticas igualmente

Tanto meninos como meninas podem (e devem) se envolver com as atividades relacionadas à organização e limpeza da casa ou o cuidado de irmãos menores. Essa é uma maneira de contribuir para um futuro com mulheres menos sobrecarregadas e homens que desempenham a paternidade e funções domésticas normalmente. Por isso é tão importante que as responsabilidades sejam as mesmas, principalmente, se você possui um filho e uma filha em idades próximas. Faça um cronograma para que ambos fiquem responsáveis pelas mesmas tarefas em dias diferentes, seja lavar a louça, varrer a casa, tirar o lixo ou trocar a fralda do irmão.

3- Evite frases e comentários que reforcem estereótipos

Quantas vezes você já ouviu e até mesmo falou expressões como "menino não chora" ou "comporte-se como uma mocinha"? Essas frases contribuem para que papéis estereotipados de gênero como, por exemplo, que homens não demonstram sentimentos e mulheres precisam ser dóceis, fiquem atrelados à construção da identidade da criança. Dessa forma, estamos condicionando meninos e meninas a reproduzirem padrões nada saudáveis quando adultos, tanto na vida pessoal como profissional.

4- Seja o exemplo

Um mundo onde meninos e meninas possam crescer com os mesmos direitos e oportunidades começa com você. Repense atitudes e brincadeiras sexistas como rir de um menino porque ele tem medo de algo ou criticar uma menina que não se preocupa com a aparência. Mostre, por meio de ações, que as responsabilidades da casa e o cuidado com os filhos podem ser desempenhados tanto pelo homem como pela mulher. As crianças aprendem por imitação, e, por isso, é tão importante transmitir exemplos positivos para elas.

Por fim, converse sempre com o seu filho e filha sobre as relações desiguais, estimulando que eles pensem no equilíbrio de papéis desde cedo.