Sustentabilidade: essa moda pegou

No último MET Gala, a top Gisele Bündchen fez questão de agradecer a Versace por ter trabalhado duro para fazer o vestido totalmente sustentável que usou na ocasião. Do tecido ao forro de seda, passando pelas linhas de algodão orgânico – tudo foi feito respeitando a natureza e a cadeia de produção pela qual passou. Mas, afinal, o que significa se vestir de modo sustentável? Como fazer escolhas para ter um guarda-roupa ecologicamente correto? Veja aqui algumas dicas de como essa moda pode entrar de vez na sua vida.

Olho na etiqueta

As marcas que se preocupam com as questões de sustentabilidade costumam deixar isso bem claro nas suas etiquetas. Matéria-prima ecológica, materiais reciclados, algodão orgânico: tudo está citado e destacado. Desconfie de marcas que preferem não tocar nesse assunto.

 

Compre de produtores locais

Preferir roupas feitas no próprio país é uma das maneiras de se fazer escolhas sustentáveis. Tudo o que leva a etiqueta "made in Brazil", por exemplo, está sujeito às leis e regulamentações nacionais, onde o trabalho escravo é combatido. Aquela blusinha super barata feita em um país distante pode não ter sido feita da maneira correta. Fique de olho nos noticiários e evite comprar de marcas que adotam essas práticas.

 

Faça escolhas duráveis e adote as trocas

Usar peças clássicas, que não caem de moda, feitas com bons materiais, é também uma forma de ser sustentável. E você ainda combate o desperdício e o consumismo desnecessário, que gera lixo e poluição no planeta. Cansada das mesmas peças? Promova uma troca entre amigas. É uma alternativa para reciclar o guarda-roupa sem gastar nada com isso.

 

Opte por materiais sustentáveis

Algodão natural não tingido, fios produzidos a partir da reciclagem de garrafas pet, materiais provenientes de comunidades onde se pratica o "preço justo" ou "fair trade". Todas são escolhas sustentáveis. Em muitos casos, elas podem custar mais do que as opções sem preocupação com o meio ambiente que você encontra nas grandes lojas, mas é uma diferença que vale a pena pagar, se pensarmos no longo prazo e no planeta que queremos deixar para os nossos filhos.