Afinal de contas, o que é felicidade?

​A resposta pode mudar a cada momento da sua vida. Os motivos para a sua felicidade podem não ser os mesmos da pessoa que está logo ali ao lado, mas médicos e cientistas apontam alguns pontos em comum. Pesquisa inédita da CVA Solutions, empresa de pesquisas, mostra que pessoas felizes têm mais saúde - e que isso não está relacionado à idade, mas a atitudes positivas, como ser altruísta e cumprir objetivos.

Ser saudável gera felicidade, e o contrário também. A mesma pesquisa afirma que 67% dos entrevistados que se consideram muito felizes têm saúde boa ou excelente. Isso está diretamente associado a cuidados com si mesmos: metade pratica atividades físicas três vezes por semana e 64% visitam o médico regularmente.

A saúde física e a emocional são complementares, por isso precisam ser tratadas com a mesma atenção. Alimentação balanceada, prática de exercícios e descanso regular são pequenas mudanças de hábito que podem mudar a forma como você se sente, inclusive ser mais feliz.

O estudo também comprova uma frase que muita gente considera clichê: felicidade não está ligada diretamente a dinheiro. O verbo “ter”, nesse caso, é mais valioso quando relacionado a coisas imensuráveis, como ter uma família, ter uma nova experiência, ter atitudes positivas, do que a bens materiais. Isso inclui entender que não dá para ter tudo sempre, mas que é possível encontrar plenitude mesmo em momentos desafiadores.

Uma das formas de alcançar isso é estar aberto a ser feliz. Não fique preso ao passado ou a experiências de outras pessoas, mas tenha liberdade para buscar entender o que faz você feliz e trilhar seu caminho até lá.

Felicidade não tem o mesmo significado para todos. E, seguindo o pensamento de ser livre, não esqueça de perguntar ao outro o que o faz feliz também. Ter um olhar para o outro e pensamento coletivo também vão  proporcionar momentos felizes. Uma dose diária e generosa empatia faz bem!