Três regras de ouro para organizar suas finanças

​​Está difícil ver para onde o seu salário está indo? Guardar dinheiro para aquela viagem ou reforma dos seus sonhos parece uma tarefa impossível? Se está passando por isso, talvez seja a hora de mudar alguns hábitos.

​Conversamos com a psicanalista e consultora em finanças pessoais Márcia Tolotti, que há anos ajuda muita gente a transformar sua vida financeira. Escolhemos algumas dicas para ajudar você e a sua família a alcançarem seus objetivos.

Planeje hoje para investir no amanhã

Quando o assunto é dinheiro, não há como fugir do planejamento. Segundo Márcia, a falta dele é o maior erro que as pessoas cometem em relação às finanças pessoais. Para não sair da linha e conseguir juntar dinheiro para fazer investimentos maiores, é fundamental ter um orçamento que prevê a quantia certa que pode ser destinada a cada tipo de gasto em um mês, além de definir objetivos de longo prazo – que vão desde a compra de uma geladeira nova até a aposentadoria. 

O problema é que a maioria das pessoas não cumpre esta etapa, mesmo sabendo o quanto é importante. Para Márcia, quem se encontra nessa situação precisa entender os verdadeiros motivos – objetivos e subjetivos – que estão levando a evitar o planejamento financeiro. Muitas vezes, as pessoas preferem viver uma realidade ilusória: “Eu sei que não vou poder comprar o celular que quero e sair para jantar todas as semanas do mês, então, para evitar a frustração, eu ignoro isso e faço essas coisas mesmo assim”, exemplifica a consultora. O grande problema dessa atitude é que os deslizes se acumulam e fica cada vez mais difícil se recuperar. Mas como começar a ser mais regrado?​

Descubra para onde o dinheiro está indo

Não tem jeito, a única maneira de fazer um orçamento é anotando todos os seus gastos, e isso vale até para o troquinho que ficou com o pipoqueiro! Faça uma planilha e comece a somar o quanto você gasta em um mês em supermercado, transporte, farmácia e outros itens que fazem parte do seu dia a dia. Para dar certo, o segredo é encarar essa tarefa como compromisso, e encaixá-la na sua agenda. Você pode separar alguns minutos no final de cada dia, ou guardar as notas fiscais e conferir seu extrato no final de cada semana ou mês.

Fique livre das dívidas

Cerca de 40% da população brasileira têm dívidas acumuladas. Se você faz parte desse grupo, não se desespere, é possível reverter a situação. Mas é preciso ter disciplina. Nesse caso, o primeiro passo, segundo Márcia, é admitir que você está endividado. Em seguida, liste todos os seus débitos e analise-os junto a seu orçamento mensal. Assim, é possível entender o quanto é preciso economizar, e que hábitos necessitam de mudanças.  

Feito isso, é fundamental planejar o pagamento das contas atrasadas, inclusive com a ordem em que elas serão quitadas. A consultora recomenda dar prioridade para as dívidas com juros maiores, pois são elas que mais aumentam o valor total que você deve. Além disso, o refinanciamento deve ser evitado a todo custo, já que ele não resolve o problema definitivamente.


Sua casa na praia ou o segundo carro que você tanto quer não precisam ficar para sempre nos seus sonhos. Siga essas dicas, reveja o orçamento e descubra junto com a sua família o que vocês podem mudar para alcançar conquistas maiores.