Como criar meninas empoderadas desde pequenas

​Felizmente, cada vez mais a sociedade tem se informado sobre empoderamento feminino e discutido a igualdade de gêneros. Essa transformação precisa começar desde cedo, quando temos a oportunidade de não encaixar as meninas em papéis limitados e mostrar para elas as possibilidades de realização que só um mundo de oportunidades iguais pode proporcionar.

No mês em que comemoramos o Dia Internacional da Mulher, veja como você, mãe ou pai, pode contribuir para criar meninas empoderadas desde pequenas. Mulheres que, desde cedo, saberão descobrir e festejar a própria força.

Rosa e Azul

Às meninas é ensinado que devem ser dóceis e controladas, desde pequenas. Enquanto os meninos devem ser fortes e receber muitos estímulos desafiadores. Isso já na primeira infância, fase determinante para a sociabilidade e capacidade cognitiva, quando o cérebro absorve todas as informações. O resultado são mulheres que duvidam sobre a própria capacidade, e homens que sofrem por ter medo de lidar com sentimentos. Por que não acabar com esse jogo e dar, aos dois lados, oportunidades para aprender e crescer desde pequenos? 

Ampliar as possibilidades

Também não há nada errado se uma menina quiser brincar de ser princesa. O segredo não é “trocar” uma coisa pela outra, mas incluir. Aumentar o leque de possibilidades da criança para que ela se sinta à vontade com o mundo e todas as suas alternativas. 

Aceitar-se 

Propor alisamento de cabelos, dizer que não será querida se não emagrecer ou mesmo criticar posturas “masculinas” numa menina, jamais!  A criança deve se amar (e ser amada) pelo o que é.  Se você se pegar representando o papel da pessoa que diz essas coisas, pergunte-se: onde foi que aprendi isso? Acredito realmente nisso? 

Empoderar as mães

O primeiro espelho e exemplo para uma menina é a sua própria mãe. Por isso é importante que ela própria se pergunte se precisa se empoderar em algum aspecto. As crianças aprendem muito mais com o que veem e sentem do que com o que é dito a elas. Se você é pai, pergunte-se se não tem dito ou feito coisas que diminuam a força da sua filha ou da mãe dela. Relações entre pessoas iguais são sempre mais ricas e verdadeiras do que aquelas onde alguém precisa “demonstrar quem manda”.


O empoderamento é como a coragem: um “músculo” que precisa ser estimulado para crescer forte. Seja você o incentivador da força da sua filha e de todas as mulheres a sua volta. Elas se lembrarão disso para sempre.